Natação se reinventa e assume papel de Educação

Um problema comum na vida de quem tem uma academia ou uma escola de natação é lidar com a concorrência. A qualquer momento, surgem novos estabelecimentos, preços menores, pacotes especiais, prêmios e brindes… Enfim, proprietários e gestores precisam estar constantemente atualizados sobre as estratégias da concorrência e, mais do que nunca, saber como destacar as qualidades do seu próprio estabelecimento. E quando se trata da natação infantil, o que pode ser realmente considerado importante? O que é diferencial de atendimento e o que é apenas adorno?

É fato constatado que uma parcela considerável da população (inclusive pessoas que ocupam cargos de liderança) adotam posturas de desrespeito ao próximo, às leis e ao bom convívio social. Soma-se a isto uma tendência cada vez mais forte a se valorizar uma pessoa pelo que ela tem, e não pelo que ela de fato é. A sociedade de consumo impõe grandes desafios para pais e educadores. Talvez o maior de todos seja impor-se contra a corrente de desumanização, de excessiva exposição nas mídias sociais e da grande pressão social pelo “ganhar sempre” que todos nós sofremos diariamente.

Nesse contexto, a educação por meio do esporte é mais do que uma tendência; é uma necessidade.

Pensando nisso, a Metodologia Gustavo Borges mudou. Continuamos a promover a aprendizagem das habilidades aquáticas por meio de atividades lúdicas. A novidade é que nosso processo de ensino agora também contempla o aprendizado de valores humanos. Cada nível de aprendizagem (cor de touca) foi associado a quatro comportamentos que devem ser estimulados pelos professores durante as aulas. Criamos um passaporte de conquistas, que é o documento da criança no processo de aprendizagem da natação.

A cada trimestre, além dos conteúdos de aprendizagem do nadar, também é trabalhado um comportamento por nível (cor de touca). Ao final desse período, a criança recebe um patch que é colado no passaporte, como forma de celebrar o comportamento aprendido. Receber o patch não tem relação com ter um desempenho melhor nas habilidades aquáticas e sim com o fato de ter vivenciado as experiências de vida relacionadas a um determinado valor humano (ex. gentileza) e com a compreensão de que o patch foi um prêmio conquistado através de um processo coletivo, conduzido pelo professor dentro da piscina.

Atualmente, mais do que ensinar as habilidades aquáticas, uma boa escola de natação precisa ensinar valores humanos, contribuindo para a formação de uma sociedade melhor.

Se você é dono ou gestor de uma academia e precisa de novas estratégias para atrair, reter ou melhorar a experiência de aprendizado dos seus alunos, visite o Estande da Metodologia Gustavo Borges.
Agende já um horário: https://www.metodologiagb.com.br/ihrsa/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *