O sedentarismo também é um negócio

Um grave problema tem atingido a população mundial, especialmente a brasileira: o sedentarismo. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 60% da população brasileira não pratica nenhum tipo de atividade física. Muitas dessas pessoas sequer fazem uma simples caminhada, alegando não ter tempo ou não gostar de se mexer.

Isso cria uma expectativa sombria para o futuro dos brasileiros, levando em conta também que a tendência é se viver cada vez mais. Segundo o mesmo IBGE, a expectativa de vida do brasileiro é agora de 76 anos.

A medicina, evidentemente, evoluiu a ponto de oferecer uma sobrevida maior. Mas o que teremos no futuro? Mais de 60% da população brasileira com idade superior a 60 anos, sobrevivendo graças a um caminhão de medicamentos, sem qualquer qualidade de vida? Sem, ao menos, se locomoverem decentemente pelas próprias pernas, a ponto de serem independentes no livre exercício do ir e vir? Sim, é importante viver cada vez mais, desde que seja garantido a esses indivíduos considerados idosos, o mínimo de conforto com o próprio corpo. E isso é determinado a partir dos 40 anos. Ou seja, a maneira como cuidamos do nosso corpo com exercícios, na fase em que o desgaste do organismo acelera, já dá para ter ideia de como estaremos quando dobrarmos a curva dos 70.

Assim, a TecFit, nasceu com a firme perspectiva de auxiliar esse contingente enorme de pessoas que até o momento não se identificaram com o que existe no mercado em termos de atividade física, mesmo tendo ultrapassado os 40 anos, ou que simplesmente dizem não ter tempo para se mexer. Pensando, claro, em um futuro cada vez mais próximo, em que o desgaste do organismo é irreversível; com o plus de fazer com que essas pessoas entrem em forma, treinando apenas 20 minutos diários, em dias alternados – uma a três vezes na semana. Afinal, o sedentarismo também está ligado ao peso de informações e atribuições que caem sobre o indivíduos a ponto deles esquecerem que existe um corpo que precisa de atividade física e merece todo carinho.

Agora, analisando a questão apenas sob a ótica do empreendedorismo, há um outro aspecto aí que precisa ser levando em consideração. Como mostram W. Chan Kim e Renée Mauborgne, no livro Blue Ocean Strategy, é preciso investir em mercados inexploráveis, com reais perspectivas de crescimento, o chamado oceano azul, para que o modelo de negócio proposto seja um sucesso. E, sem dúvida, há muito sedentário nesse mar a ser tocado pelo saudável hábito da atividade física.

One thought on “O sedentarismo também é um negócio

  1. George says:

    Bom dia me chamo George Souza e achei muito interessante esse tópico de eletroestimulação muscular do corpo inteiro, como alternativa para os sedentário e aqueles que dizem “não tenho tempo” e o slogam “academia sem peso” . Gostaria de saber mais sobre o assunto e até mesmo se for possível visitar alguma unidade no Rio de Janeiro(se houver). Sou graduado em Educação Física, pós- graduado em MARKETING DE SERVIÇOS pela ESPM e MESTRANDO SAÚDE PUBLICA na FIOCRUZ. Desde já Agradeço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *