Em time que está ganhando não se mexe. Será mesmo?

Se em outros tempos as necessidades de mudança nas organizações eram geradas pela queda do desempenho e dos resultados, fatores que a gestão de indicadores internos pode evidenciar, hoje, em um ambiente de negócios em constante transformação, é preciso ficar muito atento ao que acontece no mundo – o comportamento das pessoas, especialmente das novas gerações, a tecnologia, o mundo digital, a economia colaborativa, os negócios disruptivos, etc. – e tentar prever e antever as próximas transformações, e como elas irão impactar a vida das pessoas e os nossos negócios. É, sem dúvida, um grande desafio para qualquer gestor, para qualquer profissional na administração da sua carreira.

“Administrar a complexidade, sem se tornar complicado”, esta frase cabe aqui como uma luva, portanto, resolvi utilizá-la, embora não me recorde o autor para que o devido crédito pudesse ser dado. Afinal de contas, “Keep it simple”, que pode ser traduzido como “mantenha a simplicidade”, é também um ponto em comum de muitos negócios disruptivos, em crescimento exponencial.

Neste contexto, mudanças importantes serão realizadas na IHRSA Fitness Brasil, evento que há quase duas décadas reúne os principais líderes do mercado fitness do Brasil, e que deve começar a receber cada vez mais líderes dos demais países da América Latina, com a criação de uma programação especial para isso.

Em sua 19ª edição, as plenárias passam para um espaço mais amplo e integrado, com um grande palco central, onde pode-se ver tudo que acontece ao mesmo tempo ao longo dos 3 dias de conteúdo. São palestras, mesas redondas e talk-shows que abordarão temas de empreendedorismo, liderança, gestão, boas práticas, branding, inovação, tecnologia e novos modelos de negócios da era digital – ou pós-digital, como propõe Walter Longo, um dos keynote speakers deste ano.

A Expo traz mais de uma centena de expositores, potenciais parceiros para o desenvolvimento do seu negócio. Vale a pena conhecer as novidades em produtos e serviços, as metodologias e a proposta de educação ligadas às suas soluções. Em uma economia colaborativa, boas alianças estratégicas podem ser fundamentais.

Tudo isso para proporcionar uma experiência memorável, conectando ideias, negócios e pessoas. Afinal de contas, em time que está ganhando se mexe sim. Porque o mundo está se transformando, porque o concorrente está mudando, porque novos entrantes estão chegando e porque ainda temos mais de 95% da população brasileira para conquistar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *