Treinamento de força e suas tendências na aplicação cardiovascular

O número de pessoas que desenvolvem doenças cardiovasculares e seus agravos é crescente no Brasil, sendo o exercício um componente do tratamento que é reconhecidamente eficaz. Desta forma, a tendência de atuação profissional da Educação Física com pacientes clínicos, tende a crescer, o que exigirá maior capacitação.

O treinamento de força está bem consolidado na aplicações no controle das doenças metabólicas e no emagrecimento, mas dados sobre o efeito nas doenças cardiovasculares apresentam relevantes tendências na aplicação no controle da hipertensão, insuficiência cardíaca e pós-transplante.

O efeito na vascularização do miocárdio, no complexo mecanismo da angiogênese demonstra efeito protetor do exercício de força. Embora o treinamento de força apresente diferentes modelos, programas de exercícios com séries menores, baixo número de repetições e mais intensas, são eficazes na melhora da autonomia e nas respostas hipotensoras pós-exercícios.

A modulação autonômica e os ajustes endócrinos apresentam efeito significativo em programa de treinamento de força, em especial se realizado pelo menos 3 vezes na semana. Exercícios multiarticulares apresentam alta recomendação na prescrição.

As novidades da prescrição do treinamento de força, com as evidências científicas recentes são os focos de nossa intervenção!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *