Academia em condomínio: espaço em alta

Com a pandemia e a necessidade ainda maior de cuidar da saúde, a área ganhou atenção especial por parte de síndicos e administradores e um novo status junto aos moradores. Especialistas apontam tendências e oportunidades que podem ser exploradas para melhor aproveitamento

Yara Achôa, Fitness Brasil
20/10/2021  

Registros do setor imobiliário apontam que 9 a cada 10 prédios construídos contam com academia e indicam que espaços de lazer e tecnologias podem aumentar em até 14% o valor do m2 de um imóvel. “Mais do que nunca, academia é um grande atrativo nos empreendimentos e agrega valor ao patrimônio. Com o aumento da procura, alguns até ampliaram suas áreas. E quem ainda não tem, está buscando alternativas para criar”, afirma Vanusa Vieira, gerente de negócios na APSA, uma das maiores empresas em gestão condominial e negócios imobiliários do Brasil.

Mas até dois anos atrás – ou seja, antes da pandemia – apenas 10% dos moradores usavam o espaço. E então veio o novo coronavírus, medidas controladas de circulação, isolamento social e a necessidade ainda maior de cuidar da saúde. Com academias e parques fechados, a atenção se voltou a essa área que costumava ficar obsoleta. E sobrou para os síndicos também administrarem algumas questões referentes a ela. “Busquei orientações com quem entendia do assunto: as academias. Me embasei tecnicamente nelas e aprendi muito”, diz Edison Sanromã, presidente da Handy FM – Gestão Empresarial e Imobiliária e coordenador dos Cursos de MBA em Facilities Management.

Na IHRSA Fitness Brasil 2021 Sanromã comandará o painel “A importância do suporte técnico das academias aos síndicos profissionais”, no dia 12 de novembro, às 9 da manhã. O conteúdo, especialmente preparado para administradores e gestores de condomínios, síndicos profissionais, construtoras e incorporadoras, é gratuito. Basta fazer a inscrição em IHRSA FITNESS BRASIL – Edição Virtual 2021.

“A academia do prédio foi o que nos salvou quando tudo estava fechado. O uso aumentou cerca de 35%”, informa Pedro Kauffman, CEO da Fit Anywhere, ferramenta digital usada para organizar o acesso à academia nos condomínios, além de oferecer treinos exclusivos e personalizados, dicas de saúde e nutrição, entre outras coisas.

Saúde para todos

A ideia do aplicativo (disponível para Android e iOS) surgiu bem antes, em 2016. Kauffman, que também é síndico e sempre frequentou ambientes fitness, começou a enxergar uma oportunidade em condomínios. O objetivo era melhorar a experiência dos que usavam o espaço e aumentar a quantidade de moradores que o utilizavam. “Desenvolvemos um app de treinos com orientações e vídeos, 100% sob medida conforme os equipamentos disponíveis em cada academia e os objetivos de cada usuário. Além de sob medida, o app é no modelo de compartilhamento, ou seja, quem contrata os serviços é o síndico e, então, o aplicativo é disponibilizado a todos os moradores. Com isso conseguimos oferecer um bom custo-benefício, informando quem está na academia, qual equipamento de cardio está em uso e em quanto tempo ficará disponível antes mesmo do usuário sair de sua casa”, explica.

Com a pandemia, ele mudou o modelo de negócio para ampliar o acesso à saúde e ao bem-estar por meio da atividade física. “Gravamos videoaulas – com treinos, dicas de saúde, receitas –, para que todos acessassem o app de casa, até em edifícios sem academia”, conta.

O conteúdo ganhou o nome de Fit TV e tem uma programação de segunda a sexta, de 6h às 22h, com aulas variadas – para crianças, terceira idade, PCD, ioga, pilates, funcional, dança. Existem planos para prédios residenciais, empresas, redes hoteleiras e para o cliente final, por meio de venda ou aluguel de aulas ou assinatura.

Kauffman, que já brigou muito com a balança, também pensou em uma maneira de incentivar e ajudar o cliente a não abandonar o programa. “As pessoas desistem de fazer exercício no terceiro mês. É comum essa desistência”, observa. Então, o Fit Anywhere passou a ter uma moeda própria, o fit cash. Funciona assim: o usuário que comprou o pacote anual, mas usou apenas três meses, tem só o valor do trimestre cobrado, sendo o restante devolvido em fit cash para ser usado dentro do app. “A ideia é evitar que a pessoa apague o aplicativo. Quero ela comigo. E quero ser amigável. Com a moeda virtual, não perco dinheiro, o cliente não perde dinheiro e eu luto para que a pessoa fique comigo por mais tempo. A moeda possibilita gamificar a plataforma e fazer parcerias”.

Na IHRSA FB 2021, Pedro Kauffman e Vanusa Vieira participam da mesa-redonda “A evolução dos condomínios no mundo da saúde e do bem-estar”, no dia 12 de novembro, às 11 da manhã. Para acompanhar, é só fazer a inscrição gratuita em IHRSA FITNESS BRASIL – Edição Virtual 2021.

O movimento contina

No período da pandemia, muita gente que não fazia atividade física passou a ter interesse. “Pais e mães queriam atividades para suas crianças. Os jovens começaram a exigir também… E começaram todos a trazer ideias. Muitas dessas atividades permaneceram depois da abertura das academias fora dos condomínios”, conta Edison Sanromã.

O especialista revela que até o status dessa área mudou. “O proprietário já olha o tipo de equipamento que tem na academia, conhece marcas. Enfim, está mais crítico e quer mais qualidade.”

Para instalar ou ampliar a área fitness, é necessário submeter o projeto à convenção de condomínio. Mas não é difícil argumentar sobre essa necessidade. Para quem tem medo de aumento de custos condominiais, Vanusa Vieira avisa: “Requer orçamento, claro, mas a manutenção de uma academia, em regra, tem custo pequeno perto das demais despesas.”

Bom negócio para todos

Diante de tudo que vivemos nos últimos meses – com home office, necessidade de cuidar da saúde –, novos empreendimentos vem surgindo já com infraestrutura completa: espaço para coworking, academia, studio, restaurante, entre outras coisas.

“É difícil que um síndico domine tudo, que conheça a fundo de academia, por exemplo. Então é preciso deixar de achismo e falar com quem entende do assunto há muito tempo – ou seja, os profissionais de academias. Isso poupa tempo e melhora o atendimento”, ensina.

Sanromã acredita que existem muitas novas oportunidades para condomínios e para toda a cadeia fitness (personal trainer, equipamentos, aplicativos, academias). “É preciso abrir a mente e explorar de forma mais efetiva as frentes de negócios.”

“O mercado fitness movimenta bilhões anualmente e a busca por saúde e bem-estar cresce diariamente. Focamos inicialmente nos mercados residencial e hoteleiro, mas temos muita coisa pela frente. Novos desenvolvimentos, novos produtos e muita parceria boa vindo aí. Nossa missão é fazer com que todas as pessoas possam ter um estilo de vida saudável”, finaliza Pedro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat