Primeiro Panorama Setorial do mercado fitness é lançado na IHRSA FITNESS BRASIL 2021

Em parceria com a Armatore Market + Science e a Ernst & Young, a FB apresenta os primeiros dados de um grande e inédito estudo para mapear e entender o universo da atividade física

Yara Achôa, Fitness Brasil
16/11/2021

País com diversas realidades dentro de seu amplo território, o Brasil nunca teve um estudo completo que revelasse o que acontece no segmento fitness de norte a sul. Mas isso acaba de mudar. A Fitness Brasil, em parceria com a Armatore Market + Science e a Ernst & Young, anunciou em primeira mão na IHRSA FB 2021, na semana passada, o lançamento do primeiro Panorama Setorial Fitness Brasil, um trabalho inédito e completo.  

“Nosso mercado é carente de informações. Há anos nos baseamos apenas no IHRSA Global Report americano, que reúne dados de cerca de 80 países e fornece visão abrangente da indústria e de academias em todo o mundo, tornando-o fonte para gestores, fornecedores e profissionais da educação física. Informação é fundamental para termos um mercado mais profissional. E o uso dessa informação passa por melhores decisões, mostrando para onde podemos caminhar. Com essa pesquisa nacional, queremos entregar valor e contribuir ainda mais para a profissionalização do setor”, disse Gustavo Almeida, diretor executivo da Fitness Brasil.

A informação da indústria fitness até então encontrava-se fragmentada. “Nosso objetivo é iniciar um processo de construção de um hub de informações relevantes para o segmento. É o primeiro elaborado no país e servirá para o entendimento do mercado e para auxiliar no planejamento de longo prazo dos principais envolvidos”, explicou Gustavo Hazan, gerente sênior da EY, que firmou parceria com a FB e a Armatore por três anos, garantindo assim um material robusto nos próximos anos.

Foi realizada uma primeira fase – os focus groups –, com gestores de centros de práticas orientadas de exercício físico, fornecedores e fundos de investimento. E agora estão em andamento as pesquisas quantitativas para conhecer e entender o que leva o indivíduo a praticar atividades físicas. Até o momento foram mais de três mil pessoas respondendo às pesquisas, sendo 49% mulheres e 51% homens, a partir dos 16 anos –, o que já traz revelações sobre o presente e o futuro.

Além de mapear a cadeia produtiva, identificar os principais players, estimar a movimentação financeira e revelar o potencial do mercado, o trabalho tem como objetivo auxiliar empresas e gestores no estudo de concorrência, contribuir para melhor organização do segmento de forma geral, entre outras coisas. 

Primeiros insights

Os profissionais envolvidos deram início à análise de dados e cruzamentos de informações, para montar um quadro fiel do setor. “Uma das constatações que já tivemos é que quanto mais alta a classe social, mais se pratica atividade física. E dinheiro não é único fator que contribui para isso. Tempo e rotina mais estruturada, possibilitando maior dedicação ao esporte, contribuem”, revelou Fernando Fleury, CEO na Armatore Market + Science.

Na IHRSA FB, Almeida, Fleury e Hazan apresentaram o primeiro report com dados interessantes. “O estado de São Paulo lidera em concentração de academias do país, com 28% do total, seguido por Minas Gerais com 12% e Rio de Janeiro com 8%. E mais de 2000 cidades brasileiras não têm academia registrada, sendo que uma fatia delas conta com população entre 10 e 50 mil habitantes. Existem cidades com população acima de 100 mil habitantes que também não têm academia – essas informações estarão no Panorama completo. Mas não basta só mostrar os dados, estamos indo a fundo para entender o porquê”, revelou Hazan.

Tendências da indústria

Bastante conhecida no mercado, especialmente o inglês e o americano, a primeira tendência são as academias low cost. “O crescimento do segmento foi superior a cinco vezes nos últimos anos (US e UK)”, apontou Hazan. Outros caminhos já mostrados pelo primeiro Panorama Fitness Brasil são o Fundraising (busca por fontes de financiamento no setor, seja por private equities, fundos de investimento e oferta pública e ações); o crescimento de Gymtechs (digital como complemento do presencial e formato híbrido); e as Big Techs (modelo de incentivo ao uso de wearable + subscription).

Em breve estará disponível para download um ebook com a visão geral do estudo. E em janeiro será apresentado o report completo, que tem patrocínio ouro Evo e Gympass; patrocínio prata Konnen, Life Fitness, Matrix e Movement; e apoio de ACAD, IHRSA, CONFEF, CREF-SP, GARE, Ticket Agora e Faculdade Phorte

Vale destacar que as informações fornecidas são tratadas de maneira confidencial de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados. As pesquisas com praticantes e não praticantes de atividade física seguem até o final de novembro. O formulário para responder pode ser acessado em FITNESS BRASIL | Armatore.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat