“Com a educação física aprendi a resgatar vidas”

Professor, preparador físico, faixa preta de judô, Artur Hashimoto é a maior referência em treinamento e esportes adaptados do Brasil. No dia 11 de novembro, na IHRSA FB 2021, ele fala sobre Educação Física inclusiva. Saiba mais

Yara Achôa, Fitness Brasil
8/10/2021

Na infância, ele praticou vários esportes de forma recreativa. E começou a cursar educação física por gostar muito desse universo. O judô foi a modalidade que levou para a vida toda, tornando-se faixa preta e competindo como profissional. Junto com a luta, para se manter no período de estudos universitários, começou a trabalhar com musculação. “Me formei em educação física em 1994, entrei para a pós-graduação, fiz treinamento desportivo, sempre pensando em atletas de alto rendimento”, conta Artur Hashimoto, professor de educação física, personal trainer, preparador físico, treinador core 360º e diretor da Saúde em Evidência – academia 100% acessível.

Quando começou a trabalhar em uma grande rede de academia, percebeu que não conseguiria se manter só com atletas de alto rendimento e amadores do judô. Em 1997, passou a atuar então como personal trainer. Em 2000, sua trajetória profissional começou a mudar “meio por acaso”. Hashimoto era coordenador técnico da Cia Athletica e foi chamado para receber um aluno cadeirante, de 13 anos de idade. “O Felipe tinha orientação do neurologista para fazer atividade física dentro de uma academia. Até então eles se revezava entre clínicas de fisioterapia, de ortopedia, de fonoaudiologia… E o médico acho que seria bom frequentar uma academia, até mais pelo aspecto psicológico do que físico. Mesmo sem nunca ter sonhado trabalhar com cadeirantes, aceitei atendê-lo, até como um desafio. No primeiro dia não sabia nem como conduzir o treino. Procurei amigos fisioterapeutas, que me deram orientações, me alertaram sobre alguns pontos. Comecei testando – movimentos, aparelhos… O que dava certo continuava fazendo; o que não dava, descartava”, relata.

Durante nove anos, atendeu apenas esse aluno cadeirante. Mas foi se aprofundando no assunto. Em 2009, Hashimoto abriu sua própria academia e Felipe, então com 22 anos, o acompanhou no novo espaço. Aos poucos foram chegando novos alunos. “Tive de desaprender, para reaprender. Aprendi novamente a usar o que tive na faculdade só que voltado a um público especial. Hoje atendo vários cadeirantes, com diferentes níveis de lesão, cada um com suas particularidades.”

Clodoaldo foi um dos alunos que mais o marcou. “Ele havia ficado paraplégico há pouco tempo, estava em processo de aceitação. Foi o caso em que pude perceber a maior evolução física e psicológica. A atividade física transformou sua vida. Ele foi ganhando autonomia, se virando sozinho e até tornou-se atleta de hand bike!”

A partir de uma reportagem sobre sua academia, em 2010, Hashimoto passou a ser conhecido por seu trabalho com cadeirantes. “O Felipe foi um divisor de águas na minha vida. A partir dele, me transformei e aprendi a esperar o tempo que cada um tem e a dar valor a coisas simples.”

Sua palestra “Educação física inclusiva: treinamento para cadeirantes”, dia 11 de novembro, às 14h40, certamente vai marcar a IHRSA Fitness Brasil 2021. “A educação física vai muito além de esculpir corpos. Quando você entende do movimento, aprende a resgatar vidas. Minha intenção é mostrar que não é trabalhar só estética, mas especialmente transformar a vida das pessoas com saúde.”

LEIA TAMBÉM: IHRSA FITNESS BRASIL 2021: edição online com muito conteúdo e interação

Série Speakers IHRSA FB 2021
“Empodere-se por meio da aprendizagem”;
“Temos o poder de transformar a vida das pessoas”;
“A inteligência artificial mudará a gestão dos negócios”;
“Precisamos cuidar das nossas pessoas”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *