Profissional de Educação Física: somos de fato também profissionais da saúde?

Por Luis Carlos de Oliveira, colunista Fitness Brasil

Quando fui convidado pelo nosso amigo Prof. Fabio Saba para ocupar este espaço e escrever periodicamente para os Profissionais de Educação Física, me questionei de que forma poderia usar esta rica oportunidade para contribuir com meus colegas de profissão.

Bem, não poderia ser de outra forma que não fosse compartilhando minhas experiências e conhecimentos acumulados ao longo destes mais de 30 anos de estudos, após a minha graduação, na época ainda em licenciatura plena em Educação Física, coisa que hoje já nem existe mais. Mas que foi o grande alicerce para a construção de tudo que acumulei até o presente momento.

Minha carreira profissional se deu basicamente em dois diferentes setores:

– Na docência no ensino superior em diferentes cursos, tanto na graduação quando na pós-graduação, tendo passado pelas principais instituições da região metropolitana de São Paulo

– Paralelamente desenvolvi a atividade de pesquisas no Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul – CELAFISCS, instituição que além de me possibilitar uma rica produção de conhecimento em Ciências do Esporte, me deu também a oportunidade de viver uma das enriquecedoras experiências de intervenção de Promoção da Atividade Física para a Saúde, como membro da equipe e coordenador de um dos programas de maior repercussão na área da promoção da atividade física e saúde, o Programa Agita São Paulo.

Como membro da equipe de coordenação do programa Agita São Paulo, tive inúmeras oportunidades de convívio com as maiores autoridades da área da promoção da atividade física do cenário nacional e internacional.

Foram inúmeros cursos, palestras, eventos científicos no Brasil e no Exterior. Desta forma, me vejo hoje com o compromisso de compartilhar com vocês meus conhecimentos na área da saúde, para que possam participar de discussões de trabalho em prol de ações na saúde, em condição de igualdade.

Cada um, dentro de sua especificidade de atuação (médicos, fisioterapeutas, nutricionistas, enfermeiros, psicólogos, biomédicos, farmacêuticos), tem sua parcela de contribuição dentro do conjunto de ações visando alcançar uma maior efetividade a serviço da saúde da nossa população. E o Profissional da Educação Física não fica a dever nada aos demais profissionais da saúde.

Para lograrmos êxito nesta desafiadora tarefa, se faz necessário o conhecimento de conceitos fundamentais específicos da área da saúde, de toda uma terminologia comum aos profissionais da área e, sobretudo, de como podemos com nossas ferramentas profissionais – a essência da nossa prática profissional, a atividade física, o exercício físico, o esporte, o lazer ativo e considerando ainda as atividades domésticas, as ocupacionais e o deslocamento ativo – desenvolver estratégias na promoção da saúde, na prevenção das doenças ou mesmo como componentes na recuperação da saúde ou até no tratamento em algumas doenças.

Desde 2008, por uma portaria do Ministério da Saúde, o Profissional de Educação Física foi inserido nas equipes multiprofissionais de algumas ações do SUS – Sistema Único de Saúde. Não obstante, a Atividade Física faz parte do Plano Nacional de Promoção da Saúde desde 2011 e, juntamente com combate ao consumo de tabaco, do alcoolismo, do cuidado com a nutrição, a atividade física é um dos quatro eixos do Plano de Enfrentamento das Doenças Crônicas do Ministério da Saúde.

Mais recentemente, o Conselho Federal de Educação Física regulamentou por meio de portaria federal a atuação do profissional de Educação Física no ambiente hospitalar. Como podem perceber, legalmente estamos devidamente inseridos dentre os profissionais da área da saúde. Contudo, o fato de termos o amparo legal, não nos confere de forma automática a legitimidade social dos demais colegas das outras profissões da saúde.

Precisamos conquistar esta legitimidade perante os demais profissionais, o respeito da sociedade a partir da demonstração da nossa competência, por meio da efetividade de nossas ações, do alcance de resultados.

Assim é que vejo minha missão ao longo de nossa jornada neste espaço. Trarei de forma leve, simples e descomplicada evidências científicas, experiências de intervenções e casos exitosos, as boas práticas que representam a efetividade da atividade física em suas diferentes dimensões, bem como seus benefícios para a saúde.

Espero que esta nossa conversa periódica, contribua para melhorar seus conhecimentos e suas fluências na área saúde, deixando-os seguros para efetivamente se apresentarem como PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO FÍSICA, sem receio de se afirmarem também como PROFISSIONAIS DA SAÚDE.

Prof. Me. Luis Carlos de Oliveira é formado em Educação Física pela Escola Superior de Educação Física de São Caetano do Sul; Mestre em Educação Física; Doutorando em Educação Física e Saúde, Membro Diretor do CELAFISCS; Instrutor de Pesquisas em Ciências do Esporte; Coordenador do Projeto Internacional ISCOLE – Obesidade Infantil Ambiente e Estilo de Vida; Coordenador dos Cursos de Pós–Graduação da USCS/CELAFISCS; Professor da TREVISAN – Escola de Negócios; Assessor técnico-científico do Programa Agita São Paulo  – Secretaria de Estado da Saúde; Membro da comissão organizadora do Simpósio Internacional de Ciências do Esporte

Gostou? Compartilhe:

7 thoughts on “Profissional de Educação Física: somos de fato também profissionais da saúde?

  1. Paulo Gonzaga Filho says:

    Acredito que precisamos deixar de ser “meninos na profissão”, assumir de vez com responsabilidade e conhecimento sustentável a profissão, não cabe mais aquele profissional apenas todo malhadinho à corrigir posturas e meramente acompanhante de treino. Novos caminhos foram abertos, ninguém vai fazer mais nada por nós a não ser nós mesmos. Muitos indivíduos implorando para encontrar profissionais capacitados para atendê-los com o foco na saúde, muitos querem se livrar de dores, melhorar os padrões de normalidades e até se curarem sem a utilização de remédios e podemos fazer isso em diversos casos. Hoje sou um apaixonado por essa área. Preciso ainda aprender muito, porém é para isso que estudo todos os dias. ” Mesmo que não atinjamos todos os nossos objetivos como profissional, quando procuramos o conhecimento, certamente faremos grandes coisas e teremos um diferencial além dos outros.

  2. Luiz Guilherme G Porto says:

    Parabéns querido “Luisinho”, o compartilhamento de sua vasta experiência será muito benéfico para seus leitores, entre os quais me incluo. Parabéns também à Fitness Brasil por abrir esse espaço para alguém com tanta experiência e conhecimento. Fico no aguardo da próxima edição. Abraços do seu xará.

  3. Markus Nahas says:

    Caro prof Luís Carlos.
    Parabéns pelo comentário de estréia nesta coluna. Profissionais de EF certamente poderão usufruir dos temas que serão apresentados nas próximas oportunidades.
    Aproveito para deixar um abraço também ao prof. Fábio Saba, a quem conheci na oportunidade da defesa de seu trabalho de PG na USP.
    BOM TRABALHO!
    Markus Nahas
    Professor aposentado- UFSC

  4. Luis Carlos de Oliveira says:

    Oh, Grande Mestre Markus Nahas, que hora tê-lo como leitor da minha humilde coluna aqui no FB. Vou me valer de muita coisa que aprendi contigo ao longo de todos estes anos, e continuo apendendo. Sua presença aqui só aumenta minha responsabilidade. Forte Abraço.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Martha Gabriel

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Morbi congue dolor quis elit imperdiet eleifend. Pellentesque habitant morbi tristique senectus et netus et malesuada fames ac turpis egestas. Nullam at quam mi. Quisque a consequat dolor. Maecenas ac molestie quam, et gravida ante. Pellentesque quis dui rhoncus, maximus justo in, viverra mi. Donec congue orci in ornare tristique. Praesent ut dapibus metus. Duis rhoncus urna non massa rutrum, quis blandit felis mattis. Curabitur in metus et tortor euismod pharetra.